Sindicalistas angolanos defendem a manutenção do direito internacional de greve, como direito fundamental e inalienável

Sindicalistas angolanos defendem a manutenção do direito internacional de greve, como direito fundamental e inalienável

19:47 18 Fevereiro in Actividade Sindical
1 Comment

18/2/2015, Luanda – O SNEBA – Sindicato Nacional dos Empregados Bancários de Angola, participou numa plenária organizada pela União dos Sindicatos de Luanda – USL, que decorreu no salão nobre  da UNTA-CS, sob o tema: Manutenção do Direito Internacional da Greve. A plenária contou com participação  dos membros dos secretariados executivos das federações, sindicatos, comissões sindicais e núcleos das mulheres das empresas sedeadas em Luanda.

Dado que alguns governos e patronatos de diversos países têm condicionado a aplicação da Convenção 87 da OIT — convenção esta que consagra de forma internacional o direito à greve como um um direito fundamental e inalienável — os sindicalistas angolanos sediados em Luanda decidiram realizar acções de solidariedade para com os colegas de muitos desses países onde este direito não está ainda reconhecido nas suas cartas magnas.

Ao nível nacional, os sindicalistas de Luanda pedem que a União dos Sindicatos de Luanda  e a UNTA – Confederação Sindical, que intercedam junto dos empregadores nacionais (Governo, AIA e Câmara  do Comércio e Indústria ) no sentido de se obter a solidariedade destes em relação ao assunto. De recordar que, em Angola, o direito à greve está consagrada na Constituição da República, no seu artigo 51.

fotografia-2

1Comment

Post A Comment